Vale do Loire ou Vale do Líger[1] (em francês: Vallée de la Loire) é conhecido como o Jardim da França e o Berço da Língua Francesa. É também de realçar a qualidade do seu património arquitectónico, nas suas cidades históricas, como Amboise, Angers, Blois, Chinon, Montsoreau, Nantes, Orléans, Saumur, e Tours, mas em especial para os seus mundialmente famosos castelos, como o Castelo de Amboise, Chambord, Montsoreau, Villandry e Chenonceau e dos seus vinhos famosos.

Pix.gif Vale do Loire *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Azay le rideau.jpg
Castelo de Azay-le-Rideau
País França
Critérios (i) (ii) (iv)
Referência 933 en fr es
Coordenadas 47º12'59"N 0º03'44"E
Histórico de inscrição
Inscrição 2000  (24.ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Menos conhecidos mas muito interessantes também, existem alguns castelos medievais como o castelo de Rivau, os seus estábulos reais e os seus jardins de contos de fadas, o castelo de Langeais e a Fortaleza Real de Chinon.

A paisagem do Vale do Loire, e mais particularmente nos seus muitos monumentos culturais, ilustra um grau excepcional dos ideais do Renascimento e do Iluminismo na Europa Ocidental. O Vale do Loire é uma excelente paisagem cultural de grande beleza, contendo, vilas e aldeias históricas, grandes monumentos arquitetónicos, os seus muitos castelos e os seus vinhos.

Em 2 de dezembro de 2000, a UNESCO acrescentou a parte central do vale do rio Loire, entre Maine e Sully-sur-Loire, para a sua lista de Património Mundial. Ao escolher esta área que inclui os departamentos franceses de Loiret, Loir-et-Cher, Indre-et-Loire, e Maine-et-Loire, a comissão disse que o Vale do Loire é:

uma excepcional paisagem cultural, de grande beleza, composta de cidades e vilas históricas, grandes monumentos arquitetónicos - os Châteaux - e terrenos que foram cultivados e moldados por séculos de interação entre as populações locais e as suas características físicas do ambiente, em especial do próprio Loire.


No mesmo tempo, o Vale do Loire é composto de muitos jardins notáveis como os do Castelo de Villandry, do Castelo de Chaumont-sur-Loire e por fim os do Castelo de Rivau e os seus jardins de contos de fadas.

Índice

Castelos do Vale do LoireEditar

Os castelos, contando com mais de trezentos, representam uma nação de construtores começando com os necessários castelo fortificados no século X, para o esplendor dessas construções meio milénio mais tarde. Quando os reis franceses começaram a construir os seus enormes castelos aqui, a nobreza, não querendo nem sequer se atrever a ser medida a partir da sede do poder, seguiu o exemplo. A sua presença no exuberante e fértil vale começou a atrair os melhores designers paisagísticos.

Em meados do século XVI, Francisco I deslocou o centro do poder da França do Loire para a antiga capital, Paris. Com ele foi o grande arquitecto do Vale do Loire, mas continuou a ser o lugar onde a maioria da realeza francesa preferiu passar a maior parte do seu tempo. A ascensão de Luís XIV, em meados do século XVII, levou a instalação permanente do realeza quando ele construiu o Palácio de Versalhes. No entanto, aqueles que ganharam o apoio e favores do rei e da alta burguesia, continuaram a renovar os existentes ou a construir novos castelos luxuosos como a sua residência de verão, na região do Loire.

A Revolução Francesa viu um grande número de castelos franceses destruídos e muitos saquearam os seus tesouros. O empobrecimento de muitos dos nobres depostos, geralmente após um dos seus membros perderam a sua cabeça na guilhotina, fez com que muitos castelos fossem demolidos. Durante a I e a II Guerra Mundial, alguns castelos foram utilizados como Quartéis-generais militares. Alguns destes continuaram a ser utilizados desta maneira após o fim da Segunda Guerra Mundial.

Hoje, estes servem como propriedade privada e habitação; alguns abrem suas portas para visitas turísticas, enquanto outros são exploradas como hotéis ou albergues. Muitos têm sido assumidos por uma autoridade do governo local ou a estruturas gigantes como o de Chambord que é propriedade e gerido pelo governo nacional e são os principais locais turísticos, atraindo centenas de milhares de visitantes cada ano.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 
Châteaux do Vale do Loire.
  Palácios do Vale do Loire  
Amboise • Angers • Azay-le-Rideau • Blois • La Bourdaisière • Chambord • Chaumont • Chenonceau • Châteaudun • Cheverny • Fougères-sur-Bièvre • Langeais • Loches • Menars • Montsoreau • Plessis-Bourré • Le Rivau • Saumur • Sully • Talcy • Troussay • Ussé • Valençay • Villandry • Villesavin