Disambig grey.svg Nota: Para a unidade de elite do Império Bizantino, veja Optímatos.
Optimates
Latim: Optimates
Líder Sula (primeiro)
Pompeu (último)
Fundação 509 a.C.
Dissolução 27 a.C.
Sede Senado Romano, Roma
Ideologia Conservadorismo
Aristocracia
Interesses patrícios

Grupos políticos da Roma Antiga

Os optimates foram uma facção conservadora de senadores romanos, muito influente na época tardia da República Romana. Os seus principais objectivos eram a limitação das assembleias populares romanas e o regresso ao poder incontestado do senado romano. Todas as suas políticas visavam impedir a mudança das instituições governamentais, a perda das tradições que regiam o mos maiorum e a ascensão ao poder de homens novos, isto é, políticos oriundos de famílias fora dos círculos tradicionais.Curiosamente, dois dos principais líderes da facção, Cícero e Pompeu, eram homens novos.

Os optimates eram fundamentalmente contra a cedência da cidadania romana às populações das recém adquiridas províncias romanas, incluindo os povos que habitavam a própria Itália, como os Samnitas por exemplo. A causa conservadora atingiu o pico durante o período da ditadura de Lúcio Cornélio Sula (81 79 a.C.), que retirou todos os poderes legislativos às assembleias populares e solidificou o poder senatorial.

No período tardio da república, os optimates encontraram um inimigo em Júlio César que temiam pela sua popularidade junto das massas, capacidade de liderança e iniciativa de mudança. Os receios aumentaram à medida que o sucesso das guerras da Gália se tornou evidente. A facção conservadora acabou por impedir César de se candidatar a um segundo consulado, o que precipitou a guerra civil contra César que poria fim à actividade política da facção.

Alguns optimatesEditar

Ver tambémEditar